Extensão à Distância - Educação- 120 horas

    PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E DESEMPENHO ESCOLAR DE CRIANÇAS EM PROCESSO DE ALFABETIZAÇ

    Investiga-se a relação entre diferentes práticas pedagógicas e o desempenho escolar nas habilidades de leitura, escrita e compreensão de crianças em processo de alfabetização.

     

    PSICOLOGIA APLICADA À EDUCAÇÃO INFANTIL

    O curso de Psicologia Aplicada à Educação Infantil objetiva aprofundar conhecimentos relacionados ao estudo da inteligência e do desenvolvimento psicossocial do ser humano, nas fases iniciais, como a de construção do aparelho psíquico. O programa de qualificação profissional tem como pilar os estudos de cientistas consagrados, como Freud, Wallon, Gardner, Vygotsky e Sternberg.

    A CRIATIVIDADE E SUA IMPORTÂNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

    O pleno e livre exercício da criatividade no universo escolar se constitui em elemento indispensável ao desenvolvimento do processo educativo. Ao estimularmos experiências de criatividade, passamos a fomentar o desenvolvimento de novas relações e descobertas individuais. É certo que a criatividade se manifesta na relação do indivíduo com o seu ambiente.

    EDUCAÇÃO INCLUSIVA – ESTIGMAS E AUTOCONCEITOS

    A educação inclusiva tem como direcionador a transformação da sociedade em um ambiente inclusivo. Trata-se de um processo em que se busca a ampliação da participação de todos os estudantes nos estabelecimentos de ensino regular. A partir da reestruturação da cultura, da prática e das políticas vivenciadas nas escolas de modo que estas respondam à diversidade dos alunos. É considerada uma abordagem humanística e democrática, que percebe na só o sujeito, mas também suas singularidades. Nesse ponto os objetivos são o crescimento, a satisfação pessoal e a inserção social de todos.

    No estudo dos temas Estigma e Autoconceitos, é analisada a importância do autoconceito para o ser humano, como sendo elemento propulsor das realizações humanas nas várias áreas sociais.

     

    O CÉREBRO E SUA RELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM

    O processo de aprendizagem é bastante complexo. Em certos casos, há distúrbios que requerem estudos e avaliações, a serem conduzidas por profissionais qualificados, visando detectar a ocorrência de tais casos, que podem ou não se configurarem como anomalias. Nesse vasto universo, o cérebro desempenha papel relevante no sentido de que comanda as áreas de interação mais significantes.

    NOVOS LETRAMENTOS E AS PRÁTICAS DE LINGUAGEM NA ESCOLA

    Possibilitar que professores e gestores da educação básica possam refletir sobre as práticas de linguagem contemporâneas que remetem aos novos letramentos, de forma a compreenderem suas configurações, suas práticas constitutivas – sobretudo, curadoria e remixagem –, sua natureza colaborativa e participativa, sua vinculação com as culturas juvenis, o hibridismo de papeis que envolvem (autor/leitor, espectador/produtor) e as decorrências que colocam para a escola, em especial, para o ensino-aprendizagem de língua.

     

    EDUCAÇÃO AMBIENTAL INFANTIL: DINÂMICAS PARA AULAS PRÁTICAS

    Neste curso vamos listar práticas para aulas de educação ambiental voltada a crianças com até 10 anos de idade. Abordaremos conceitos, metodologias e, por fim, sugestões para dinâmicas aplicáveis em sala de aula e também em ambientes externos.

    POLÍTICAS EDUCACIONAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

    O propósito deste curso foi estudar o processo de criação e implementação da política educacional de formação de professores para a educação básica através da educação superior a distância. Investigou-se sobre a contextualização histórica e geográfica da educação a distância no Brasil e no mundo; o processo de mudanças tanto nas políticas públicas como na legislação educacional, que levou à formulação de programas e sistemas institucionais de ensino superior como a Universidade Aberta do Brasil e o Programa de Formação Inicial de Professores do Ensino Fundamental e Médio (Pró-Licenciatura), direcionados para a formação de professores a partir do uso de sistemas técnicos em rede.

    BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS- A LUDICIDADE COMO FERRAMENTA DE DESENVOLVIMENTO

    A Atividade lúdica, representada por jogos e brincadeiras, pode desenvolver o aprendizado da criança dentro da sala de aula: o lúdico se apresenta como uma ferramenta de ensino para o desempenho e desenvolvimento integral dos alunos. O jogo na escola traz benefícios a todas as crianças, proporcionando momentos únicos de alegria, diversão, comprometimento com o aprender e responsabilidade. A ludicidade é uma necessidade na vida do ser humano em todas as idades; e não deve ser vista apenas como diversão ou momentos de prazer, mas momentos de desenvolver a criatividade, a socialização com o próximo, o raciocínio, a coordenação motora, os domínios cognitivos, afetivos e psicomotores.

    NEUROCIÊNCIA, EDUCAÇÃO E PRÁTICAS EFICIENTES

    As estratégias pedagógicas promovidas no processo ensino-aprendizagem, aliadas às experiências de vida às quais o indivíduo é exposto, desencadeiam o processo conhecido como NEUROPLASTICIDADE, modificando a estrutura cerebral de quem aprende. Essas modificações possibilitam o aparecimento dos novos comportamentos, adquiridos no processo de aprendizagem. Surgem então algumas perguntas como: qual seria a real contribuição das neurociências para a educação? O conhecimento do funcionamento do cérebro pode contribuir para o processo ensino-aprendizagem mediado pelo educador? Nasceu daí um diálogo, uma interface entre as neurociências e a educação que tem crescido ao longo dos últimos anos.

    DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS NA INFÂNCIA

    Distúrbios Neurológicos; Crises Convulsivas; Meningo-encefalites; Sinais clínicos e Tumores Cerebrais.

    ESTÍMULOS SENSORIAIS E A APRENDIZAGEM

    Crianças (e adultos) aprendem melhor quando as informações são processadas por mais de um dos sentidos ao mesmo tempo. Prova disso é que as lembranças favoritas de infância frequentemente estão associadas a um aroma, som ou sabor... Quando sentimos um cheiro ou ouvimos uma música familiar, é como se aquela sensação nos transportasse de volta ao passado. O cérebro é capaz de recuperar imagens e sensações a partir de um estímulo dos sentidos.